COPEHU

Parques de Estudos e Reflexao Punta de Vacas

COPEHU Argentina

Parques de Estudos e Reflexao Carcarañá

COPEHU Argentina

Parques de Estudos e Reflexao Carcarañá

COPEHU Bolivia

Parques de Estudos e Reflexao Montecillo

COPEHU Bolivia

Parques de Estudos e Reflexao Montecillo

COPEHU Brasil

Parques de Estudos e Reflexao Retiro.

COPEHU Brasil

Parques de Estudos e Reflexao Retiro.

COPEHU Brasil

Parques de Estudos e Reflexao Retiro.

COPEHU Brasil

Parques de Estudos e Reflexao Retiro.

COPEHU Brasil

Parques de Estudos e Reflexao Caucaia.

COPEHU Brasil

Parques de Estudos e Reflexao Caucaia.

COPEHU Chile

Parques de Estudos e Reflexao Manantiales.

COPEHU Chile

Parques de Estudos e Reflexao Manantiales.

COPEHU Chile

Parques de Estudos e Reflexao Manantiales.

COPEHU España

Parques de Estudos e Reflexao Navas del Rey

COPEHU España

Parques de Estudos e Reflexao Navas del Rey

COPEHU Perú

Parques de Estudos e Reflexao Ihuanco

COPEHU Perú

Parques de Estudos e Reflexao Ihuanco

COPEHU Costa Rica

Parques de Estudos e Reflexao Las Nubes

COPEHU México

Parques de Estudos e Reflexao Joquicingo

COPEHU México

Parques de Estudos e Reflexao Joquicingo

domingo, 13 de novembro de 2016

5° Encontro Internacional


Documento do V Encontro Internacional “Rumo a uma Educação Humanizadora”
“O paradigma do futuro: aprendizagem intencional, transformadora e não violenta”

O paradigma do futuro: aprendizagem intencional, transformadora e não violenta é o lema da convocação do V Encontro Internacional “Rumo a uma Educação Humanizadora” organizado pela Corrente Pedagógica Humanista Universalista (Copehu) que se levará a cabo nos dias 13, 14 e 15 de janeiro de 2017 no Parque de Estudo e Reflexão Punta de Vacas (Cordilheira dos Andes, Mendoza, Argentina).
Desde 2013 encontramos a cada ano aqueles que sentem a necessidade de contribuir com a transformação profunda da educação para a evolução do ser humano.  Nos reunimos para o estudo, a reflexão e o intercâmbio em torno desta proposta pedagógica que surge essencialmente a partir dos aportes do Novo Humanismo de Silo, e reconhece, além disso, os aportes teóricos do existencialismo e a fenomenologia, as investigações da neurociência e os trabalhos de Lev Vygotsky e Paulo Freire, entre outros autores. 
Todo paradigma educativo parte de uma visão do mundo, do ser humano, sua consciência e sua função social para a formulação de uma teoria da aprendizagem.  Estas concepções são o ponto de partida e dão um sentido ao quefazer educativo que hoje se apresenta com certos desafios que requerem propostas inovadoras e que, de acordo com a nossa proposta, implicam que o ser humano seja considerado o valor e preocupação central.  Uma visão na qual a superação da dor, do sofrimento e de toda forma de violência é um dos eixos transversais e dos sentidos fundamentais do para que educar.
Atualmente nos encontramos cotidianamente expostos a situações nas quais a violência é denominador común: Não se trata só de guerras, de atentados, de violência física,  como também de violência econômica, racial, cultural, psicológica, religiosa, sexual.  Percebemos violência não só socialmente, mas também nas relações interpessoais que têm lugar dentro da escola, dentro da família, dentro do trabalho... Aprofundando ainda mais, perceberemos que essa violência, também pode estar presente no interior de nós mesmos.
Por isso consideramos essencial, para transformar esta situação tomar como ponto de partida a experiência de conectar com a própria interioridade humana, gerando o âmbito não só físico senão também mental, onde o educador possa refletir, meditar sobre “como recuperar o significado profundo da educação, do ato de ensinar”.  Acreditamos que nosso aporte pode contribuir para a expressão de um novo olhar, capaz de construir um novo sentido da ação educativa recuperando o humano e o ato de ensinar e aprender.  Um novo modo de estar no espaço educativo e no mundo em geral.
Desde nossa proposta acreditamos pertinente refletir sobre a atitude por parte dos educadores de hoje, porquanto somos aqueles que temos a possibilidade de pôr a disposição das Novas Gerações uma nova educação que se propõe habilitar, despertar o gosto por aprender, refletir, investigar, transformar, ser conscientes de si mesmos e de seus respectivos atos com o horizonte de um futuro querido.  Por isso é necessário aprender a acompanhar sem julgamentos esta nova expressão que nasce, que aspira a que o ser humano possa desenvolver-se integralmente, possa descobrir sua vocação e expressá-la no mundo, uma expressão de acordo com os novos tempos.
Acreditamos que é necessário criar um paradigma que inclua um compromisso para a cultura da não violência, colocando de manifesto que no atual momento histórico a violência já não é admissível como modo de convivência, resolução de conflitos ou alcance de  objetivos.  Estamos falando da não violência como atitude, como forma de viver, como forma de construir esse Novo Mundo ao qual aspiramos, desde sempre, os seres humanos.
Serão três dias nos quais compartilharemos experiências e visões pedagógicas que nos permitam refletir e aprender a construir um novo modo de estar no mundo, um novo lugar desde onde desenvolver nossa vocação. Tentaremos desenvolver a sensibilidade, conectando com o melhor de outros, experimentando o gosto de aprendermos juntos.

Desde da Copehu convidamos a construir o âmbito propício para continuar aprofundando no paradigma do futuro: uma educação transformadora, em direção evolutiva de acordo com o novo que nasce.

Equipe organizadora do V Encontro Internacional


segunda-feira, 23 de novembro de 2015

4° Encontro Internacional




8, 9 e 10 de janeiro 2015
Parques de Estudo e Reflexão Punta de Vacas 

 Documento do IV Encontro Internacional 
“Rumo a uma Educação Humanizadora”
Recuperar Humano no ato de ensinar e aprender

Recuperar Humano no ato de ensinar e aprender é o lema do IV Encontro Internacional de Educação organizado pela Corrente Pedagógica Humanista Universalista (CoPeHU), como uma continuação de uma série de eventos para troca de experiências educativas iniciadas em janeiro de 2013.

O encontro que terá lugar no Parque de Estudo e Reflexão Punta de Vacas (Cordilheira dos Andes, Mendoza). Serão três dias de trabalho compartilhado para que se expresse um "nós" diverso e comprometido com a cultura da Não-Violência.

Através da reflexão, estudo e intercâmbio de experiências e visões pedagógicas construiremos um caminho para novos aprendizados, que permita que se expresse uma sensibilidade que abra passo para se conectar com o melhor de um e dos outros, despertando o gosto por aprender juntos.

A CoPeHU essencialmente esta inspirada no pensamento do Novo Humanismo de Silo, mas também reconhece as contribuições do existencialismo e da fenomenologia, das pesquisas em neurociência e do trabalho de Lev Vitgosky e Paulo Freire, entre outros. Todos os paradigmas educativos partem de uma visão de mundo, do ser humano, da sua consciência e função social para a formulação de uma teoria da aprendizagem. Estes conceitos são o ponto de partida e dão um sentido ao trabalho educativo que agora está mudando rapidamente. Na nossa perspectiva, evidencia-se a necessidade de reconhecer o outro como sujeito ativo de aprendizagem, um ser intencional que aspira a crescer como ser humano na sua capacidade de transformar o mundo e a realidade, com o olhar colocado em direção a um futuro querido.

E o que define o Ser Humano como tal? A reflexão do histórico-social como memória pessoal.
É assim que o quarto encontro "Rumo a uma educação humanizadora" convida à reflexão sobre esta nova abordagem pedagógica, em que nos perguntamos: Como recuperar o sentido profundo da educação, do ato para ensinar para cada um de nós? Esse significado será aquele que está relacionado com a vocação? Isto é, com o que cada um pode contribuir para a expressão de um novo olhar, capaz de construir um novo significado na ação educativa.

Para nós, um ponto de partida é tentar voltar para aquele momento em que cada um decidiu começar a trilhar o caminho do trabalho pedagógico junto com outras pessoas, caminho que sem dúvida está ligado profundamente com o Humano. É uma proposta para tentar nos responder algo tão simples, mas essencial: Para que transitamos para a nossa prática educacional. Um convite à reflexão para o sentido do "para que" nós educamos e "como" nós podemos contribuir para o desenvolvimento das novas gerações.

Neste contexto, o encontro é convocado para aqueles que compartilham a necessidade de uma mudança de olhar e assim abrir novos horizontes em direção ao Humano, à aquilo que é característico de Ser Humano: ser e fazer sentido do mundo.

Trata-se de gerar espaço de reflexão, estudo e intercâmbio entre educadores para trabalhar em um caminho de transformação e construção para esse novo olhar, em que podemos ver a nós mesmos e aos outros membros da comunidade educativa desde as nossas virtudes. Um olhar sobre onde podemos reconhecer a intenção do outro com um futuro aberto a possibilidades infinitas.

Desde a CoPeHU convidamos você a aprofundar o caminho de conexão com a "vocação" e do próprio registro da humanidade do outro, que vai além do natural, mostrando que é possível ver a luz no caos, é possível pensar além do estabelecido quando se afirma que "nada pode mudar", porque é nesses momentos de crise, de coisificação, nestes momentos de desumanização, que aparece a possibilidade da reabilitação futura . Podemos experimentar que é possível ir mais longe, é possível transformar, é possível!

É a convicção de um novo olhar pedagógico, a porta para novos horizontes, para uma educação que brinde para as novas gerações as ferramentas para a criação de um querido futuro.

Equipe organizadora do IV Encontro Internacional "Rumo a uma educação humanizadora"

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

3° Encontro Internacional


Terceiro Encontro Internacional
para uma Educação Humanizadora

9, 10 e 11 de janeiro 2015
Parques de Estudo e Reflexão Punta de Vacas

            Aprendizagem Intencional: Um horizonte para novos paradigmas educativos, é o lema desse Terceiro Encontro Internacional. Na nossa visão, a aprendizagem admite diferentes graus intencionais. Desde da simples gravação do percebido pelos sentidos, pelo fato de registrar fenômenos externos ou internos e dai em diante, o aprender imitando, o aprender fazendo, o aprender brincando, o aprender ensinando, o aprender intercambiando, o aprender investigando, a aprendizagem por inspiração... Até o aprender sem limites, como modo de existência ligado ao Sentido transcendente da vida.

            Este Encontro Internacional é impulsionado pela COPEHU (Corrente Pedagógica Humanista Universalista), inspirada essencialmente no pensamento do Novo Humanismo de Silo, portador de uma nova concepção do ser humano e da consciência; uma visão ativa da consciência, aberta ao mundo para o transformar, em permanente busca intencional. A COPEHU reconhece, além dos aportes do existencialismo e da fenomenologia, as investigações nas neurociências e os trabalhos de autores como Vitgosky e Paulo Freire, entre outros.

            Nesse contexto, convocamos para esse Terceiro Encontro aos que compartilham a especial necessidade de abrir novos horizontes para trabalhar em um caminho de transformação da educação e da consciência humana. Trata-se de reunir a educadoras e educadores que sintam a urgência de criar um espaço de reflexão e de construção de âmbitos significativos que facilitem o intercambio e o estudo sobre qual educação queremos.

            Esta proposta começou no começo de 2013 durante o Primeiro Encontro latino-americano “para uma Educação Humanizadora” continuando sua abordagem no Segundo Encontro Internacional no início de 2014. Em ambos eventos participaram educadores de distintos países da América latina como Bolívia, Argentina, Brasil, Peru, Chile, Colômbia, Equador e México. Também participaram educadores dos Estados Unidos, França, Itália e Espanha.

            Durante todo o ano de 2014, em distintos lugares e culturas foram sendo desenvolvidos apresentações, encontros, jornadas e retiros sobre a aprendizagem intencional para bebês, crianças, jovens e docentes; com o propósito de que as novas gerações tenham a oportunidade de tomar contato com o sagrado que habita em cada um de nós, assim como facilitar nos educadores o contato interior com sua Vocação, o reencontro com o sentido profundo do para que educar.

É para avançar nesse desafio que convocamos para o Terceiro Encontro Internacional para uma Educação Humanizadora no Parque de Estudo e Reflexão Punta de Vacas, localizado aos pés do Monte Aconcágua, na fronteira entre Argentina e Chile. Trata-se de um espaço propício para o estudo, o intercambio, a reflexão e a meditação sobre os temas fundamentais que fazem a  vida e a evolução do ser humano. Um espaço que possibilita o avanço de uma sensibilidade que nos abre a novos modos de conectar com as virtudes, próprias e de outros, despertando o gosto por ensinar e aprender juntos.

O encontro consistirá em três dias de trabalho compartilhado para estudar, intercambiar e meditar. Três dias para que se expresse o "Nós" em um diálogo frutífero, em uma rica troca de experiências e visões de educação; formando um grupo humano diverso e plural que busca construir sentidos no caminho de ensinar e aprender simultâneos, explicitamente comprometida com a cultura da não-violência.

É a convicção na possibilidade de evolução do ser humano e do despertar de sua consciência, o motor desta proposta no campo da Educação

Equipe Organizadora do Terceiro Encontro Internacional para uma Educação Humanizadora.